GRUPO DE CIDADANIA EMPRESARIAL


Desenvolvimento de programas socio-educativos.

Entre em contato e torne-se um parceiro do Grupo.

Fundo Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente.

Inscreva-se para receber nossas informações e novidades.

Remédios pegam carona e viajam longas distâncias

Bianca Mascara, especial para o Cidadania

Colalife aproveita engradado de refrigerante para colocar suplementos e combater a diarreia na África

Fotos: Divulgação
Foto: Divulgação
Solução simples traz grandes benefícios e ajuda no combate a mortalidade infantil na Zâmbia e outras regiões da África

O desenvolvimento do capitalista e das empresas multinacionais foi tamanho nos últimos anos, que nos acostumamos a ver produtos de diversas partes do mundo em nosso cotidiano, com raros questionamentos de como foi possível tais mercadorias chagarem até lá.

A distribuição que deixa o capitalismo complexo e simplifica nossas vidas faz parte de um grande sistema de logística das empresas. Um dos grandes exemplos da eficácia desse trabalho de distribuição está na ação da Coca-Cola. O refrigerante mais famoso do mundo chega em qualquer lugar e inclui em sua rede de distribuição os mais variados meios de locomoção, desde o moderno avião, até o carregamento por burros ou bicicletas.

Foi pensando nessa poderosa rede de distribuição, que a Colalife, ONG associada à Coca-Cola, resolveu aproveitar os engradados de refrigerante e sua logística para combater um grande problema que afeta principalmente o Continente Africano: a diarreia.

Foto: Divulgação

Uma em cada nove crianças africanas morre antes de completar cinco anos por desidratação em virtude da diarreia. O tratamento para a doença é simples, porém a dificuldade de encontrar suplementos para combater o problema é o maior desafio nessas regiões. Mães andam diversos quilômetros para buscar remédios nos pequenos mercados dos vilarejos, porém, na maioria das vezes, se decepcionam com a informação de que os medicamentos não chegaram. Curioso é notar as garrafas de Coca-Cola nas prateleiras.

“Você encontrará Coca-Cola em qualquer vila, a qualquer momento do ano, mas não encontrará remédios. Qual é a diferença? Existe algo a ser aprendido aqui”, declara Joseph Kasonde, ministro da saúde da Zâmbia, a publicação Scientific American.

Foi justamente na Zâmbia que a primeira experiência da Colalife foi aplicada. Antes de colocar os remédios na rota de distribuição do refrigerante foi preciso desenvolver uma maneira de adequá-los às caixas de engradados. Os suplementos de sais mineiras e zinco, além de um pequeno sabonete, foram colocados em pequenas caixas, cujo formato ocupa o espaço vazio entre os gargalos das garrafas, de forma que cada engradado comporta vários “kits vida”, como foram chamados.

Agora, os pequenos mercados sempre têm um kit em seu estoque, vendido no valor equivalente a US$1,00. No mundo globalizado, a associação entre uma grande empresa e um governo pode trazer bons resultados no futuro, como a queda da mortalidade infantil. Não foi preciso diminuir o número de garrafas nos engradados e, além do lucro financeiro que sustenta tais multinacionais, uma parcela extra de sorrisos ajuda a manter o bom funcionamento dos negócios.

Foto: Divulgação

MAIS INFORMAÇÕES
http://www.colalife.org/