GRUPO DE CIDADANIA EMPRESARIAL


Desenvolvimento de programas socio-educativos.

Entre em contato e torne-se um parceiro do Grupo.

Fundo Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente.

Inscreva-se para receber nossas informações e novidades.

É possível desacelerar na cidade?

Michelle Prazeres (*)

Foto: Divulgação
Foto Divulgação
Michelle Prazeres: Precisamos falar sobre o tempo

Em andanças que fazemos por aí por conta do Desacelera SP (http://www.desacelerasp.com.br), uma das coisas que mais escuto é que as pessoas não têm tempo. Há quase três anos, criamos este projeto para mapear e reunir indivíduos, iniciativas e lugares conectados com o movimento slow.

Ao contrário do que muitas pessoas pensam, desacelerar não é ser lento, preguiçoso ou devagar. Desacelerar é parar para pensar quando a velocidade faz sentido e quando ela não faz; quando estamos operando em “modo padrão”, porque ser rápido, ágil e sempre produtivo é o que se considera “normal”; e quando estamos conscientes das nossas escolhas de tempo.

Temos percebido que - ao pensar na sua relação com o tempo - as pessoas não necessariamente “geram” mais tempo (parece impossível, não? Todos temos 24 horas em um dia...), mas elas ficam mais conscientes de suas escolhas e parecem “tomar as rédeas do tempo” para si mesmas.

Veja algumas atitudes simples que podem mudar a sensação de estar sempre correndo atrás do relógio.

1. Cuide das relações importantes para você

Quem são as pessoas mais importantes na sua vida hoje? Como elas estão presentes no seu cotidiano? O Desacelera SP acredita que a convivência afetiva é uma forma de humanizar as relações e desacelerar. A escuta atenta, a atenção plena e a presença são fundamentais para um caminhar mais lento.

2. Perceba as suas escolhas de tempo

Como você usa seu tempo? Perceba as suas escolhas de tempo e tome as rédeas destas escolhas para você. Pergunte(-se) quando a velocidade faz sentido e quando não faz. Basicamente, trata-se de conhecer as suas escolhas de tempo e buscar transformar o que te incomoda.

3. Fale sobre o tempo da vida e das coisas

Precisamos falar sobre o tempo. E não apenas na perspectiva da falta de tempo, da pressa, da indisponibilidade, de que precisamos de mais tempo. Precisamos falar sobre os contratos de tempo. Experimente problematizar prazos e atrasos. Falar sobre o tempo é importante para construirmos novas relações com o tempo.

4. Faça uma coisa de cada vez

Vivemos na sociedade do desempenho, que valoriza o “multitasking” (a capacidade de fazer muitas coisas ao mesmo tempo). Na prática, estamos nos revezando de tarefa em tarefa, sendo inefetivos. Muitas vezes, pode ser melhor fazer uma coisa por vez, sequencialmente e com atenção plena.

5. Fique mais tempo offline

As tecnologias são “ladrões de tempo” na vida contemporânea. Pense que você poderia administrar melhor a sua relação com os aparatos tecnológicos e as telas em geral e garantir mais tempo de presença e atenção plena, seja com você mesmo, seja com outras pessoas e relações importantes para você.

6. Faça pausas

Imagine um tempo para não fazer nada! Um tempo para não (se) ocupar?! Este tempo é ainda mais raro! Permita-se este tempo sem culpa. Tenha em mente que a pausa não deve servir apenas para recobrar o fôlego para voltar ao trabalho. A pausa é para você. Desfrute.

Para saber mais:
http://www.facebook.com/desacelerasp
http://www.slowmovement.com


* Jornalista e professora da Faculdade Cásper Líbero. Idealizadora do Desacelera SP: desaceleradora de pessoas e negócios.