GRUPO DE CIDADANIA EMPRESARIAL


Desenvolvimento de programas socio-educativos.

Entre em contato e torne-se um parceiro do Grupo.

Fundo Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente.

Inscreva-se para receber nossas informações e novidades.

Arte em movimento e trabalhador em destaque

Bianca Mascara, especial para o Cidadania

Projeto reforma carroças dos catadores com grafite e chama a atenção para importância dos trabalhadores da reciclagem, em São Paulo

Fotos: Divulgação
Foto: Divulgação

Participa da estética urbana, combate a poluição e atua de forma sustentável. Essas características podem conduzir a imaginação para uma figura de um executivo engravatado, porém o profissional da reciclagem urbana não possui sequer carteira assinada e é mais conhecido por catador. A profissão não é reconhecida, mas essa é a sina dos homens e mulheres desse ramo, que continuam seu trabalho diminuindo o crescimento desordenado do lixo sólido nas grandes cidades.

São 17 mil toneladas, esse é o número que representa a quantidade de lixo produzida em São Paulo. Em um mês? Não, em um único dia! O número impressiona, mas o espanto é ainda maior quando apresentado um único dígito: 1% é a quantidade desse lixo que é destinado à reciclagem. A situação poderia ser ainda pior, não fossem os catadores de rua, responsáveis pela coleta de 90% dos materiais recicláveis. Com certeza já os vimos, talvez tenhamos buzinado para um deles, afinal são 20 mil apenas na cidade de São Paulo, embora eles ainda sejam invisíveis aos olhos da sociedade.

A importância do trabalho de um catador de lixo urbano é fundamentada pelos números, mas encoberta pelo preconceito. Alguns são confundidos com moradores de rua, alguns de fato não têm uma casa, outros possuem um lar e uma família. Os profissionais da área são diversificados, muito embora a generalização seja mais frequente que o lixo reciclável em lixeira comum.

Foto: Divulgação
Mundano em ação: Depois de reformada, é hora da carroça ganhar cor

A história dos catadores foi se misturar com a trajetória de Thiago Mundano. O jovem vem de outra profissão que também não possui registro em carteira e é igualmente vítima de um preconceito social.  Mundano é grafiteiro e no senso comum transita entre pichador e artista. Independentemente da classificação que recebe, Mundano transformou seu trabalho em projeto social, com a ideia de usar as carroças como objeto de suas obras. Foi a união de dois profissionais de áreas essencialmente citadinas, que deu movimento a arte e visibilidade ao seu trabalho.

O resultado ganhou o nome de Pimp my carroça, em uma referência humorística aos programas norte-americanos que reformam carros usados. No entanto, o projeto só foi possível quando Mundano descobriu sua força no coletivo.

“Eu fiz durante cinco anos tudo sozinho e acho que foi o meu maior erro de todos os tempos. Eu vi o poder da mobilização coletiva na internet e ai foi realmente um sucesso”, contou Mundano. O trabalho do grafiteiro ganhou força e com uma arrecadação crowfunding (financiamento coletivo) foi possível a criação do Pimp my carroça.

“Eu pintei a carroça de um catador e vi o quanto aumentou a auto-estima dele. Então, eu comecei a dar vozes aos catadores. Primeiro eu vinha com as minhas frases, isso lá em 2007, aí depois comecei a por as frases dos catadores”, completou.

Trata-se de uma reforma na carroça dos trabalhadores de reciclagem. O primeiro passo é reforçar sua estrutura. “O bacana do projeto é que arrumar a estrutura física da carroça. Se bobear, pintar a carroça é o de menos, comparado ao trabalho de serralheria, para arrumar e soldar, tem também um serviço de borracharia, se precisar encher um pneu, além de colocar itens de segurança”, destacou Mel Duarte, produtora cultural da iniciativa.

Foto: Divulgação

Todavia, com uma carroça zero quilômetro e bonita, os catadores não poderiam ficar de fora do “banho de salão”. Por isso, eles também ganham atenção com consulta médica com um clínico geral e outros profissionais de áreas da saúde, como oftalmologistas e dentistas, além de tratamento de beleza, como corte de cabelo e massagem. Os cachorros, fiéis companheiros dos catadores, também passam pela avaliação de um veterinário. Não para por aí, o dia da reforma também é celebrado com um almoço aos participantes, que ganham camisetas do projeto.

As frases escritas nas carroças, além de criativas, levam à reflexão sobre a real importância desses trabalhadores urbanos.  “A ideia foi pegar uma arte marginalizada com um trabalho marginalizado e juntar os dois. É um projeto para dar visibilidade para o catador, para as pessoas enxergá-lo da melhor maneira possível, o valor que eles realmente merecem. Afinal, eles são trabalhadores e estão coletando um lixo, que às vezes as pessoas nem separam na suas casas, os catadores possuem esse esclarecimento de saber para onde destinar o lixo certo”, destacou Duarte.

É uma troca de experiências que produzem ricas histórias. Todos aprendem no dia de interação. “Enquanto eu estou pintando a carroça, eu estou sempre conversando com eles e os caras têm uma visão completamente diferente sobre a cidade. Eu aprendi muito com eles e aprendo todos os dias. Se hoje eu sou uma pessoa um pouco mais antenada eu devo a eles. Você tem que sair da bolha e essa convivência é muito saudável”, contou Mundano.

Foto: Divulgação
Frases criativas e que levam a reflexão

Projetos vencedores

Em meio às muitas conversas e risadas, Mundano descobriu uma reclamação recorrente entre catadores e cidadãos: o espaço ocupado pelas carroças. Enquanto os profissionais da reciclagem manifestavam a dificuldade de parar as carroças na cidade, algumas pessoas reclamam dos carroceiros, porque atrapalham ainda mais o trânsito da cidade. A solução manteve o ideal do Pimp my carroça: a criatividade e o humor.

Os voluntários do Pimp my carroça criaram algumas vagas exclusivas para os catadores estacionarem suas “máquinas”, com um simples desenho no chão e uma placa de aviso. Quem invade esse espaço, recebe uma multa, com os dizeres “Multa! Você parou na vaga exclusiva de carroças. Valor: um almoço para um catador”.

Foto: Divulgação
Criatividade e capricho fazem parte do trabaho do Pimp my carroça. Catadores também ganham um novo visual.

MAIS INFORMAÇÕES
http://pimpmycarroca.com